Tag : penis

Ilustração: Guilherme Lira

O Tamanho do Documento

Ilustração: Guilherme Lira

Escrito em abril de 2014

 

Não é de hoje que o comprimento e largura são assuntos em pauta. Homem fala sobre isso; mulher fala sobre isso; menino fala sobre isso; algumas meninas nem sabem ainda o que é isso; sua avó sabe analisar isso.

Quantos caras não se sentem um pinto no lixo quando tem seus membros avaliados com sucesso? É um prazer para eles engrandecer o seu ego sem braços. Será que é um prazer também para as portas e janelas que recebem essas visitas? O tamanho – realmente – faz diferença?

A diferença já está no tamanho. Não só no comprimento mas na largura, em especial. Bem especial. Há também a diferença entre os ovos. Há também a diferença entre cores, carpete e cortina. Seja por crença, saúde ou precaução, os capacetes também são diferenciados.

E o mais importante: há a diferença de cabeça. Não a cabeça do pênis, e sim o que encabeça o dono do pênis.

Você já teve o desprazer de transar com um cara imbecil? Eu já, mas mais imbecil ainda fui eu. E de transar por necessidade no capô do carro do pai da sua amiga? … E de fazer sexo numa cama king size com um sofá que agregava valor ao espaço? E com um ruivo, um judeu, um fotógrafo numa ilha, um amigo do coração? E de fazer amor? Existe coisa melhor?

A diferença entre cada um desses não estava só no tamanho.

O tamanho às vezes faz diferença no encaixe. Aliás, o tamanho faz uma grande diferença no encaixe, e nem sempre encaixa. Às vezes as pecinhas do Lego não estão casando. Em outras o divórcio vai para além da forma das pecinhas. Muitas vezes, gente, usa KY que vai.

Já ocorreu de notar o tamanho antes de algo mais invasivo acontecer, e simplesmente dizer “amigo, não rola com essa rôla”. Já ocorreu também de uma minhoca virar uma sucuri. Já ocorreu de dois pintos de nacionalidades diferentes serem pau a pau, em que um tinha um par de bolas de vôlei e o outro de basquete. Haja mão-de-obra especializada.

Também depende do buraco que é para ser acertado, né. Tem porta de entrada mais apertada que porta dos fundos. Tem sim, acredite. Tem casa com chaminé, sempre uma opção de escape, ou seria de chegada mais que apertada?

Machucada, arrombada, apertada, receptiva. Cada abertura reage de uma forma diferenciada em machos e fêmeas.

Usa-se a expressão “vai tomar no c*” como algo negativo, quando na verdade deveria ser um desejo de coisa boa. Imagina parabenizar alguém com um “te desejo muita saúde, sucesso e que você tome muito no cú ainda nessa vida”. Isso seria um verdadeiro feliz aniversário, obrigada.

Claro que este buraco em questão é meio polêmico e endeusado. Não sei pra quê, gente. Isso só traz pressão e insegurança para as passivas e passivos, além de muita expectativa para os ativos. Na verdade pressão é bom, mas vamos com calma, gentilmente, que chegamos lá.

“Nossa, dessa vez foi fácil de entrar”, disse ela, feliz.
“Você tá dizendo que meu pau é pequeno?”, disse ele, inseguro.

“Eu acho que já sou arrombada, porque ele me pediu pra apertar minha vagina!”, disse outra, preocupada.
“Pô, talvez ele quisesse um pompoarismo pra fazer uma pressão. Ou talvez tu seja arrombada mesmo”, disse a amiga jurando que estava consolando alguma coisa.

“Desculpa, não dá… É que eu acabei um namoro há pouco tempo e ainda não me sinto confortável para isso”, lamentou uma irritada com a própria combinação cabeça-buceta.
“Tudo bem, é que quando eu te vejo quero pular em você como um animal. Mas eu posso esperar”, respondeu o dono da maior tromba da savana.

Às vezes acho que tamanho é mais assunto de mesa de bar do que de real problemática na cama.

Tamanho é uma questão de centímetros, oras. Simples assim. Impressiona, decepciona, não funciona, engana, é cheio de manha. Cada um no seu quadrado e entrando no buraco que for de sua preferência e dedicação.

Piroca sempre será assunto polêmico; até em conversa mole ela aparece durinha, tinindo. O tamanho pode ser documento, claro. Mas cada qual com sua identidade e assinatura, que é isso que importa ao atravessar fronteiras.

| Originalmente postado aqui |

Clique e acompanhe o blog pelo Facebook!

Categories: Made in Austrália, Na Cama com Marina